sábado, 30 de novembro de 2013

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Vestibular da Faculdade Diocesana abre inscrições de 25 a 06 de dezembro. Confira Edital.



EDITAL nº 01/2013-FDM, 12 de novembro de 2013.


A Comissão do Concurso Vestibular da Faculdade Diocesana de Mossoró, torna pública a realização do Vestibular 2014, destinado a selecionar candidatos para o provimento de vagas no Curso de Teologia, Bacharelado Presencial, desta Faculdade, para ingresso no primeiro e segundo semestres letivos de 2014.

1– DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1-O vestibular será regido por este edital e pelo Manual do Candidato e realizado pela Comissão do Concurso Vestibular - CCV, designada pelo Diretor da Faculdade Diocesana de Mossoró.
1.2- O Vestibular para ingresso ao Curso de Teologia, será aplicado na Faculdade Diocesana de Mossoró, praça Dom João Costa, 511, bairro Santo Antônio, Mossoró-RN, compreenderá os conhecimentos de Ciências Humanas (História e Geografia), Códigos e Linguagens (Língua Portuguesa, Literatura e Redação) e Atualidades que obedecerá às diretrizes deste Edital.
1.3 - A inscrição do candidato implicará no conhecimento e na aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, em relação às quais ele não poderá alegar desconhecimento.
1.4 - Todas as informações prestadas pelo candidato, ao inscrever-se no Concurso vestibular 2014, serão de sua inteira responsabilidade.
1.5 - O candidato inscrito por procurador assume total responsabilidade pelas informações prestadas, arcando com as conseqüências de eventuais erros que seu representante venha a cometer ao preencher o Formulário de Inscrição.
1.6 - Terá sua inscrição cancelada e será eliminado do concurso o candidato que usar dados de identificação de terceiros para realizar sua inscrição.
1.7 - É de inteira responsabilidade do candidato o preenchimento de todos os campos no Formulário de Inscrição.
1.8 - O candidato terá sua inscrição indeferida e será automaticamente eliminado do processo de seleção se não preencher devidamente o Formulário de Inscrição e/ou apresentar documentos falsos ou adulterados.
1.9 - A taxa de inscrição não será devolvida sob nenhuma hipótese, salvo em caso de cancelamento do Concurso, por conveniência da Administração da Faculdade.
1.9.1 - Para efeito de inscrição serão considerados documentos de identificação: carteira expedida pela Secretaria de Segurança Pública, pelos Comandos Militares, pelos Institutos de Identificação, pelos Corpos de Bombeiros Militares, por órgãos fiscalizadores, por Conselhos e Ordens de Entidades de Classe, passaporte, certificado de Reservista, carteiras funcionais do Ministério Público ou expedidas por órgão público que, por Lei Federal tenham validade como identidade; carteira de Trabalho e Previdência Social e carteira Nacional de Habilitação, contendo foto.
1.10 - O candidato com necessidades especiais que necessitar de condições diferenciadas para realizar as provas deverá entregar um requerimento, especificando o tratamento diferenciado adequado, acompanhado de laudo médico que ateste o tipo de deficiência em que se enquadra, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID).
1.10.1 - O requerimento e o laudo médico deverão ser entregues na sede da Comissão do Concurso Vestibular, instalada na Faculdade Diocesana de Mossoró, situada na Praça Dom João Costa, 511, bairro Santo Antônio, Mossoró-RN, com atendimento, nos dias úteis do período de 25 de novembro a 06 de dezembro 2013, no horário das 19 horas às 22 horas.
1.10.2 - A solicitação de condições especiais para a realização das provas será atendida obedecendo-se a critérios de viabilidade e de razoabilidade.


1.10.3 - A condição especial será desconsiderada caso o candidato não cumpra o estabelecido neste edital.
1.10.4 - A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas deverá levar um(a) acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança.


2- DO CURSO E DAS VAGAS
2.1 - O Curso de TEOLOGIA, Bacharelado, é autorizado pelo Ministério da Educação, Portaria 839/2009, de 25/06/2009, publicada no D.O.U. de 26/06/2009.
2.2 - São ofertadas 40 vagas iniciais para ingresso no primeiro semestre letivo de 2014.
2.3 - No Manual do Candidato, disponível na página eletrônica: http://fdmossoro.blogspot.com/, constam informações sobre o curso, número de vagas, períodos, duração, carga horária, professores, dirigentes e valores de mensalidades e taxas.

3 – DO PROCESSO DE INSCRIÇÃO

3.1 - Estão aptos a inscrever-se no Concurso Vestibular 2014 para ingresso no Curso de Teologia da Faculdade Diocesana de Mossoró - RN, os interessados que já tenham concluído o Ensino Médio ou curso equivalente.
3.2 - A solicitação de inscrição deverá ser efetuada pelo interessado ou seu procurador legalmente constituído, no período de 25 de novembro a 06 de dezembro de 2013, das 19 às 22 horas na secretaria da Faculdade Diocesana de Mossoró, situada na praça Dom João Costa, 511, bairro Santo Antônio, Mossoró-RN, prédio do Colégio Diocesano Santa Luzia.
3.2.1 - A taxa de inscrição no valor de R$ 50,00 (cinquenta reais) deverá ser depositado no Banco do Brasil, agência 036-1, conta corrente nº 67.458-3.
3.3 - No ato da inscrição do Concurso Vestibular 2014, o candidato deverá entregar os seguintes documentos:
3.3.1 - Comprovante do pagamento taxa de inscrição;
3.3.2 - Ficha-requerimento de inscrição devidamente preenchida e assinada;
3.3.3-Documento de identidade reconhecido por lei (apresentar uma cópia legível e o original);
3.3.4 - Cadastro Pessoa Física / CPF ( apresentar uma cópia legível e o original)
3.3.5 - Procuração particular, quando for o caso;
3.4 - Para efeito de inscrição no Concurso Vestibular 2014 e acesso aos locais de realização de provas, são considerados documentos de identidade os documentos constantes no item 1.9.1 deste edital.
3.5 - O candidato terá eliminada sua inscrição se apresentar documento(s) falso(s) ou adulterado(s).
3.6 - Na ficha-requerimento de inscrição constará declaração assinada pelo candidato, ou seu bastante procurador, de que aceita as condições estabelecidas neste Edital para Ingresso ao Curso de Teologia. A ausência da assinatura na ficha de inscrição condicionará a anulação da mesma.

4 – DAS PROVAS

4.1 - As provas do Concurso Vestibular 2014 para Ingresso ao Curso de Teologia abrangerão os conhecimentos de Língua Portuguesa, História, Geografia, Atualidades e redação, com duração de 4 (quatro ) horas, será aplicada no dia 22 de dezembro de 2013, das 8 às 12 horas.
4.2- A prova objetiva, com questões de múltipla escolha abrangerá conhecimentos, domínio de conteúdo e interpretação adequadas às situações apresentadas e cada uma delas terá cinco opções de respostas, das quais apenas uma será correta.
4.3 - A prova de Redação constará de uma produção textual de, no mínimo, 20(vinte) linhas e, no máximo, 30 (trinta) linhas.
4.4 - Para o desenvolvimento do tema proposto na Prova de Redação, deverão ser considerados os seguintes aspectos: relacionamento com o tema, ordenação lógica do pensamento e correção de linguagem. A fuga ao tema proposto implicará nota 0 (zero) na Redação.
4.5 - Os programas/Conteúdo Programático são informados no Manual do Candidato, o qual poderá ser buscado em qualquer bibliografia sobre o assunto solicitado.

5 –DA CLASSIFICAÇÃO E RESULTADO:

5.1- O preenchimento das vagas, dar-se-á através de processo classificatório, obedecendo à ordem decrescente do total de pontos obtidos no conjunto de provas (objetiva e redação), respeitando-se o número de vagas explicitadas neste Edital.
5.2 - Ocorrendo o empate de argumentos finais para classificação entre candidatos será o mesmo decidido pelo total de pontos obtidos nas questões, com a seguinte ordem:
5.2.1 - Melhor desempenho nas questões de Língua Portuguesa;
5.2.2 - Melhor desempenho na Redação;
5.2.3 - Maior idade.
5.3 - Será nula a classificação do candidato que:
5.3.1 - No ato da matrícula no Curso não apresentar comprovante de escolaridade completa em nível de Ensino Médio ou equivalente;
5.3.2 - No ato da matrícula apresentar documentos falsos ou adulterados;
5.3.3 - Não efetuar a matrícula no curso até a data aprazada para o seu encerramento.
5.4 - A divulgação do resultado do Vestibular para Ingresso ao Curso Teologia será feita pelo Diretor do Curso, através de Edital no âmbito interno desta Instituição que compreenderá a primeira convocação para efetivação da matrícula.

6– DOS RECURSOS

6.1 - O candidato que desejar interpor recurso contra o gabarito oficial preliminar da prova objetiva disporá de dois dias, a contar do dia subsequente ao da divulgação do gabarito oficial preliminar da prova objetiva.
6.2 - A entrega de recurso contra o gabarito oficial preliminar da prova objetiva deverá ser efetuada na sede da Faculdade Diocesana de Mossoró, situada na Praça Dom João Costa, 511 – Bairro Santo Antônio, CEP 59.611-120 – Mossoró/RN.
6.3 - O recurso interposto será respondido exclusivamente pela CCV, e a resposta será divulgada na página eletrônica: http://fdmossoro.blogspot.com/.
6.4 - Não será aceito recurso via postal, via fax ou via correio eletrônico.
6.5 - O candidato deverá entregar três conjuntos idênticos do recurso (original e duas cópias), e cada conjunto deverá ter o mesmo conteúdo e apenas uma capa.
6.6 - Os formulários “Capa de conjuntos de recurso” e “Justificativa de recurso” ficarão disponíveis, juntamente com o gabarito oficial preliminar, no endereço eletrônico: www.fdm.edu.br.
6.7 - Cada conjunto de recurso deverá ser apresentado com as seguintes especificações:
6.7.1 - Folhas separadas para questões/itens diferentes;
6.7.2 - Em cada folha, indicação do número da questão e do item, da resposta marcada pelo candidato e da resposta divulgada pela CCV;
6.7.3 - Para cada questão/item, argumentação lógica e consistente;
6.7.4 - Capa única constando o nome, o número de inscrição e a assinatura do candidato;
6.7.5 - Sem identificação do candidato no corpo do recurso.
6.8 - Recurso intempestivo, inconsistente, em formulário diferente do exigido, ofensivo a Banca de Prova e/ou fora das especificações estabelecidas neste edital, será indeferido.
6.9 - Se, do exame do recurso, resultar anulação de questão(ões)/item(ns), a pontuação correspondente a essa questão(ões)/item(ns) será atribuída a todos os candidatos, independentemente de terem recorrido. Se houver alteração do gabarito oficial preliminar, por força de impugnações, as provas serão corrigidas de acordo com o gabarito oficial definitivo. Em hipótese alguma o quantitativo de questões/itens das provas sofrerá alterações.

7 – DA MATRÍCULA:

7.1-A matrícula dos aprovados no Concurso Vestibular 2014 para ingresso ao Curso de Teologia será realizada nos dias 30 e 31 de janeiro de 2014, na secretaria do Curso, em horário estabelecido no Edital do respectivo resultado.
7.2 - Para a efetivação da matrícula, mediante requerimento ao Diretor do Curso, serão exigidas 02 (duas) fotografias 3x4 (em papel próprio, iguais e recentes) e a seguinte documentação:
7.2.1-Histórico Escolar do Ensino Médio ou equivalente (original e 01 cópia legível);
7.2.2 - Diploma ou Certificado de conclusão do Ensino Médio ou equivalente (original e 01 cópia legível);
7.2.3 - Título de Eleitor e comprovante de votação da última eleição (original e 01 cópia legível);
7.2.4 - Certidão de Nascimento ou Casamento (original e 01 cópia legível);
7.2.5 - Carteira de Reservista ou Certificado de Alistamento Militar (original e 01 cópia legível);
7.2.6 - Comprovante de pagamento da primeira mensalidade.
7.3 - O candidato que concluiu o curso de Ensino Médio ou equivalente no exterior deverá obter a equivalência do referido curso no Conselho Estadual de Educação competente até o ato da matrícula no Curso.
7.4 - O candidato que deixar de requerer matrícula na data aprazada ou não apresentar os documentos relacionados no item 6.2 perderá a vaga obtida, que será imediatamente ocupada pelo candidato que obteve classificação subseqüente.

8 – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

8.1 - Em casos excepcionais, quando o candidato por motivo de doença devidamente comprovada encontrar-se hospitalizado e impedido de deslocar-se para os locais preestabelecidos de realização das provas, deverá requerer ao Diretor do Curso a realização das mesmas em instituições hospitalares de Mossoró.
8.2 - Não será permitido, por parte dos candidatos, o uso de qualquer aparelho eletro-eletrônico, dicionários e bíblia, no ato de realização das provas.
8.3 - Será eliminado do Concurso Vestibular 2014, em qualquer fase, o candidato que comprovadamente fraudar ou para ela concorrer, atentar contra a disciplina ou desacatar a
quem estiver investido de autoridade para coordenar e auxiliar a realização do Concurso Vestibular 2014
8.4 - Em nenhuma hipótese serão concedidas ao candidato revisão ou vistas de provas, fotocópia ou vistas de cartão de repostas.
8.5 - O candidato só poderá sair da sala de aplicação das provas com o caderno de questões uma hora antes do tempo previsto para o término da mesma.
8.6 - O candidato só será admitido no recinto de realização da prova munido dos documentos de inscrição e de identidade com o qual realizou a inscrição e só poderá deixá-lo após transcorrido pelo menos uma hora do início de cada prova. O candidato que comparecer com documento de identidade diferente daquele com o qual realizou a inscrição deverá ser conduzido até a sala da coordenação para identificação especial.
8.7 - A Comissão do Concurso Vestibular somente tomará conhecimento de recurso ou reclamação sobre a violação ou infringência das Normas do Concurso Vestibular 2014, no prazo de até 72 (setenta e duas) horas a partir do fato gerador, devendo o documento ser protocolado na Secretaria da Faculdade.
8.8 - A Comissão do Concurso Vestibular divulgará, sempre que necessário, Editais de Convocação, Normas Complementares e Avisos Oficiais sobre o Vestibular, para ingresso ao Curso de Teologia.
8.9 - Os casos omissos ao presente Edital serão resolvidos pela Comissão do Concurso Vestibular, como instância recursal.



Mossoró (RN), 12 de novembro de 2013.

Comissão do Concurso Vestibular - CCV

Iara Maria Linhares
Secretária Geral da FDM e
Presidente da CCV
 
Francisco José de Carvalho
Coordenador da Comissão do Concurso Vestibular
Pe. Charles Lamartine de Sousa Freitas, Membro
Gretchen Sergina Gomes - Membro


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Palavra de Deus para hj...

'' Suportou tudo corajosamente esperando no Senhor'' (2 Mac 7, 20)

Da-nos a devida coragem e perseverança...

''Guarda-me como a pupila dos teus olhos,
esconde-me a sombra de tuas asas.''
( Sl 17,8)

festejos alusivos à Santa Cecilia na Comunidade do Sitio Carpina...





terça-feira, 19 de novembro de 2013

Desrespeito inaceitável.


Papa Bento 16 pintadinho de gay
Um panfleto publicitário no qual aparece uma imagem retocada do papa emérito Bento XVI com maquiagem para promover um festival cinematográfico sobre homossexualidade e religião organizado na Universidade de Milão por uma associação de estudantes causou várias críticas no país.
Na imagem é possível ver o rosto de Joseph Ratzinger com os olhos pintados com sombra verde, supercílios falsos e batom, graças a um retoque por computador.
O panfleto foi criticado nas páginas do jornal ”Il Giornale”, que considera a iniciativa “blasfema e uma ofensa para toda a comunidade católica”.
O conselheiro do partido Forza Itália na prefeitura de Milão, Matteo Forte, em declarações recolhidas por “Corriere della Sera”, destaca que se trata de “um menosprezo à autoridade religiosa”.
A resposta dos organizadores não demorou e estes afirmaram que “o verdadeiro problema não é a provocação, mas a homofobia”.
A professora Laura Boella, catedrática de Filosofia Moral na Universidade de Milão, manifestou, por sua parte, que “a escolha dos estudantes” na elaboração do panfleto “deve ser contextualizada” e aplaudiu que tenham organizado um evento sobre um assunto importante como a homofobia.
No entanto, considerou que “sempre é preciso levar em conta que efeito podem ter nossas decisões sobre aqueles que se encontram em uma posição oposta à nossa”.
Por sua vez, o jurista da Universidade Católica de Milão, Andrea Nicolussi, afirmou que não se sentiu “escandalizado” pela foto, mas declarou que a imagem representa “uma provocação paradoxal, já que quem combate a discriminação está, por sua vez, discriminando”.
“Como católico me surpreendeu o fato de que o papa emérito, como ser humano, foi tratado mal. É uma pessoa idosa que escolheu retirar-se da vida pública e sua vontade foi violada”, considerou.

Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista







segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Como explicar que tantas imagens de Jesus e Nossa Senhora tenham sido ‘salvas’ nas Filipinas?



Maribojoc Church, Bohol, one of the Four -Century ~ old Churches wrecked by the 7.4 Magnitude Killer quake in the Philippines last Tuesday (0ct. 15 )
Com menos de um mês de intervalo, duas enormes calamidades caíram sobre as Filipinas, país muito populoso de maioria católica.
O país é um grande arquipélago exposto a fenômenos sísmicos e furacões de rara intensidade.
No dia 16 de outubro um terremoto de magnitude 7.2 atingiu especialmente a ilha de Bohol danificando severamente grandes e sólidas igrejas coloniais, de até 400 anos de antiguidade. 
A segunda grande calamidade foi provocada pelo tufão Haiyan (lá denominado Yolanda) em 8 de novembro que causou por volta de 2.500 mortes.
Nas duas imensas tragédias registrou-se o mesmo fenômeno: imagens de Nossa Senhora e do Sagrado Coração de Jesus ficaram admiravelmente indenes.
Por exemplo, a imagem pintada abaixo
numa igreja de Bohol: todo o muro da igreja caiu, mas a parte dele onde estava a imagem ficou surpreendentemente em pé. 
No mesmo terremoto, informa a televisão filipina, diversas imagens, sobretudo de Nossa Senhora de Lourdes, também foram inexplicavelmente salvas.
“É um milagre” dizia Carol Ann Balansag ao jornal Inquirer News, apontando a imagem, intata no meio das ruínas, da padroeira da igreja da Santa Cruz, do século XVIII, em Barangay, província de Bohol.
Entre as ruínas da igreja de Nossa Senhora da Luz, na cidade de Loon, província de Bohol, os fiéis podiam invocar a misericórdia divina e o auxílio e o perdão diante da imagem da padroeira também assombrosamente salva.
Os fiéis fitavam com lágrimas nos olhos a gruta de Nossa Senhora da Luz arruinada, mas a imagem salva. 
“O terremoto destruiu a igreja, mas não atingiu nossa padroeira”, dizia o Pe. Tom Balatayo. 
Amélia Sevilla agradecia a Nossa Senhora por tê-la salvo a ela, o marido e os quatro filhos. Durante o terremoto, ela correu com eles para a igreja, temendo o tsunami que acostuma vir após a terra tremer.
Durante o tufão Haiyan a imagem do Sagrado Coração de Jesus cuja foto vemos acima , ficou em pé vencendo a fúria dos elementos.
Não haverá em todas estas proteções um ensinamento, e quiçá um aviso, para todos nós também?
Para quem se interessa pelas relações da ciência e da religião eis uma pergunta que merece reflexão e uma resposta: Como explicar que tantas imagens de Nossa Senhora e de Nosso Senhor tenham sido salvas nas Filipinas?

Fonte: Blog do Carmadélio

Capela de Nossa Senhora da Conceição é arrombada e tem Sacrário levado em Assu- RN.

Na madrugada de hoje, dia 17, na Capela de Nossa Senhora da Conceição, no bairro Vertentes, aqui em Assu, foi arrombada e profanada. Levaram o Sacrário com o Santíssimo. Estamos de todas as formas  tentando encontrar. Por decisão de Dom Mariano, a Capela fica fechada até que ele mesmo venha celebrar, fazendo um ato de desagravo e reabrindo a Capela de Nossa Senhora da Conceição.

Procurando o Sacrário encontrei JESUS VIVO, na pessoa de tantos viciados em drogas numa verdadeira cracolândia de Assu. A sensação neste momento é de tristeza pela profanação e por estar encontrando tantas vidas em que se nega o minimo de dignidade. Será que estamos perdendo a batalha para as drogas??? Não.Não. Temos que fazer alguma coisa e resgatar tantas vidas, são irmãos nossos, é o próprio Jesus vivo. Não vamos cobrar so dos outros,vamos juntos fazer alguma coisa juntos para derrotar as drogas. Só a sociedade toda unida será capaz de vencer. Vamos dar as mãos. É Jesus que clama e hoje está chamando nossa atenção pra essa dura realidade.

Desabafo de Padre Flávio Augusto no facebook.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Papa Francisco: imagens que falam!

Ao terminar a audiência geral desta quarta-feira na Praça de São Pedro, o Papa Francisco comoveu novamente o mundo ao abraçar efusivamente um homem que padece neurofibromatose, uma enfermidade neuronal que causa tumores na pele e nos ossos, causando fortes dores.
As pessoas que padecem esta enfermidade, de origem genética e que não é contagiosa, são discriminadas com frequência pela aparência que adquirem.
Ao saudar, como faz habitualmente, os peregrinos que chegaram para participar da Audiência Geral, em um intenso gesto de amor pelos enfermos, o Papa se deteve durante vários minutos para acolher em seus braços o homem doente. Instantes depois deu ao homem sua bênção.
A neurofibromatose, é uma doença grave e de difícil tratamento que pode ocasionar paralisia, problemas de visão, surdez, retardo mental, enxaquecas e até mesmo câncer.
 
 



 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Testemunho de Francisco Euzamar de Sousa (Mazinho)




Fui criado na fé católica, recebi os sacramentos do Batismo, primeira Eucaristia e Crisma, mas aos 14 anos tomei a minha primeira dose de bebida, primeiramente por vaidade, depois por vício. Depois experimentei o fumo e comecei a participar de várias festas onde me afundei cada vez mais na bebida e no fumo, e como um vício leva a outro, passei a experimentar comprimidos de Optalidon (droga utilizada com bebida) e também cheguei a usar maconha.
Aos 16 anos comecei a frequentar prostíbulos e a sair com prostitutas e quanto mais entrava nessa vida, mas buscava algo para suprir os vazios que havia em mim. Existia em mim uma grande revolta por não me sentir acolhido e a minha vida era só bebidas, drogas e farras. Larguei os estudos e passei a viver dissolutamente, mas até aí não era totalmente dependente, ainda existia certo equilíbrio, mesmo que pouco, e eu ainda conseguia ter relacionamentos sérios, mas crescia essa vida dissoluta que realmente só me dava prazer e com isso eu só afastava as pessoas que me amavam com meu temperamento.
Em meio a isso tudo conheci alguém que hoje é a minha esposa que mesmo com toda essa minha realidade confiou em mim e me amou mesmo sem saber o que a esperava. 
Eu já não estudava mais e trabalhava em uma indústria e com 19 anos resolvi me casar com a minha namorada Evanrélia que tinha 17 anos. Todos achavam, inclusive a minha mãe, que nessa nova etapa da minha vida eu iria mudar, mas ao contrário tudo começou a piorar.
Agora me sentia cada vez mais homem e mais livre e achava que a minha esposa tinha apenas que suportar, tanto é que por muitas vezes eu passei noites e noites fora de casa, gastava todo o dinheiro da feira e além de agredi-la com palavras quebrava tudo que tínhamos que na verdade já não era muito.
Machuquei minha esposa, minha família, meus amigos e chamava atenção dos vizinhos quando estava bêbado. A minha casa por vezes foi cenário de escândalo e isso me faz lembrar de alguns momentos, digo alguns porque não me recordo de todos pois sofria de amnésia alcoólica quando bebia muito e no dia seguinte não me lembrava das coisa que fazia. Mas algumas lembranças ficaram marcadas como uma em que em uma noite cheguei em casa super bêbado e agredi fortemente a minha esposa com palavras, peguei um lençol grande, fui até o guarda-roupa e fiz um grande pacote com as suas roupas e joguei no meio da rua e mandei ela ir embora de casa. Em outro momento, também bastante bêbado, quebrei tudo, e essa é uma lembrança muito dolorosa, lembro-me de ter quebrado também um espelho, mas no outro dia disseram-me que o havia quebrado na cabeça da minha mãe.
A essa altura eu já sabia que não tinha mais controle, queria parar, eu tinha que parar, até porque sofria de uma doença física muito séria, mas mesmo assim não tinha forças para parar.
Algumas pessoas me davam conselhos, outras me criticavam, algumas me convidavam para ir em várias igrejas, recebi também um convite de um irmão, Carlos Ribeiro, para ir em grupo de oração da Renovação Carismática Católica, mas prometi ir e não fui. Minha esposa era de grupo de oração e sofria muito porque era aos domingos e o domingo é o dia preferido dos bêbados. Eu a perseguia muito para que ela não fosse e as vezes ela até se escondia dentro de casa para que eu não visse quando saia para o grupo. Minha esposa e minha mãe são as mulheres mais valentes que conheci até hoje e que nunca desistiram de mim. Quando todos me diziam que eu estava perdido, a intercessão da minha mãe e da minha esposa mostrou o contrário.
Então em uma tarde de domingo de 1994, aconteceu algo que mudou para sempre a minha história. Um homem chamado João Maria Soares, na época Coordenador Diocesano da RCC, quando estava a caminho do Grupo de Oração sentiu que deveria voltar e ir até o local onde eu estava que era um bar vizinho a minha mãe onde eu estava bebendo desde a sexta-feira. Estava muito bêbado, sem camisa, somente de bermuda e mesmo assim ele se aproximou de mim assim como Jesus se aproximou da mulher pecadora e lhe estendeu a mão, então ele me disse: “Venha comigo”, mas eu respondi dizendo que não dava, pois estava daquele jeito e iria outro dia, mas ele insistiu e me disse: “Quem sabe faz a hora”. Então depois dessas palavras eu decidi ir com ele. Entrei na Capela do Divino Espírito Santo e isso era muito difícil, pois estava muito bêbado, mas como disse aquele dia mudou toda a minha história e aquele homem impôs as mãos em minha cabeça e enquanto muitos dizem que milagres não existem eu posso dizer o contrário porque ele começou a fazer uma oração em mim, que na RCC chamamos de Oração em Línguas, e essa oração começou a mexer comigo e parecia que eu ia desabar e comecei a sentir algo estranho e ao mesmo tempo algo maravilhoso acontecia dentro de mim e eu só sabia chorar e quanto mais ele orava, mais eu chorava e de repente eu percebi que não estava mais bêbado, eu fiquei curado do porre instantaneamente, puro milagre de Deus.
Terminando a oração saí correndo para casa assim como a Samaritana no seu encontro com Jesus. A minha mãe não entendia o motivo das minhas lágrimas mas eu sabia que o que eu tinha bebido naquele dia era algo muito mais forte que qualquer droga que possa existir nesse mundo. Hoje faz 17 anos que eu continuo embriagado, não mais com vinho doce, mas com a água do Espírito Santo.
Deus ainda me deu muitos milagres e ainda continua me dando sempre, queria terminar lembrando apenas mais um: eu sempre tive o desejo de ser pai, mas a minha esposa tinha alguns problemas e foi preciso retirar toda a parte esquerda do seu ovário. Com isso, segundo o médico da época, era quase impossível ela poder ficar grávida.
Isso me fazia questionar a Deus, eu perguntava a Ele: Senhor, se Vós já fizestes tantas coisas em minha vida porque não faz mais este milagre?
O tempo foi passando e a minha esposa queria tentar fazer um tratamento para engravidar e ela até fez uma consulta para isso, mas para nossa surpresa e alegria nos primeiros exames o médico disse: “Você não precisa fazer tratamento porque você já está grávida.” Naquele dia Deus mostrou aquilo que disse Davi: “Jamais vi um justo abandonado e nem seus filhos a mendigar o pão”.
Ela engravidou de Iascra nossa primeira filha e para dizer que Deus poder todas as coisas ela engravidou mais uma vez e nasceu Isaac e foi assim que aconteceu.
Então eu só posso dizer: nunca desista, persevere, creia e o mais Ele fará. Procure um Grupo de Oração da Renovação Carismática Católica, foi lá onde eu entrei bêbado, completamente desacreditado e a partir de então Deus transformou a minha vida.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

sábado, 9 de novembro de 2013

Dia 09 de novembro aniversário de nosso padre Maciel Rodrigues da Silva

Hoje queremos agradecer a Deus por seu pastoreio e dedicação,  que possas pela graça de Deus ter uma vida repleta de bençãos. Que sua vida seja um derramamento constante da graca de Deus, permita-se  a cada dia ser um instrumento de Dele em nosso meio. Feliz aniversário muita paz em sua vida...
"Tu és sacerdote para sempre,
segundo a ordem de Melquisedeque".
 




Asembleia Diocesana de Pastoral traz estudo do Documento da CNBB - 104.




A Diocese de Mossoró estará realizando, de 07 a 09 de novembro, sua Assembleia Diocesana de Pastoral. Esse ano, os participantes estarão debruçados sobre o Documento nº 104 da CNBB “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”, com assessoria do Vigário Geral da Arquidiocese da Paraíba, Monsenhor Virgílio Bezerra de Almeida. O estudo é um pedido da própria CNBB que tem por finalidade contribuir com o processo de elaboração de um documento que será aprovado na 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, de 30 de abril a 9 de maio de 2014, como também, segundo o Vigário Geral, padre Flávio Augusto, iniciar na Diocese um processo de aprofundamento com a finalidade de renovar a paróquia para que, de fato, seja uma comunidade de comunidades, centro de irradiação da vida em Cristo, como pedem o Documento de Aparecida e as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2011-2015. Ele lembra que durante as visitas pastorais, o Bispo Diocesano Dom Mariano Manzana foi muito enfático ao falar desse novo rosto das paróquias. Explicava que uma boa liturgia e pastorais organizadas são alicerce para essa nova paróquia. Padre Flávio reforça trazendo o encerramento do Documento 104 que será estudado na assembleia onde fala que a paróquia pode se tornar um farol sempre mais luminoso, especialmente em tempos de incertezas e inseguranças. Nela, cada pessoa deveria ter a possibilidade de fazer o encontro com Jesus Cristo e integrar- se na comunidade dos seus seguidores.
A paróquia, contudo, precisa de uma renovação urgente. As mudanças da realidade clamam por uma nova organização, especialmente articulada em pequenas comunidades capazes de estabelecer vínculos entre as pessoas que convivem na mesma fé. Entretanto, mesmo setorizada, a paróquia depende de uma nova evangelização, de uma ousadia missionária capaz de fortalecer o testemunho e estimular o anúncio.

Palestrante:


Monsenhor Virgílio Bezerra de Almeida - Vigário Geral da Arquidiocese da Paraíba, professor de Teologia no Seminário Arquidiocesano e tem prestado serviços de assessoria pastoral às igrejas do Regional NE 2 da CNBB. É autor do livro “O Sagrado e a Fé na Arquidiocese da Paraíba”.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Três visões do inferno dadas por Deus a santos da Igreja.

O juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos, Antonin Scalia, disse acreditar no inferno e no diabo, e as pessoas zombaram dele. Mas os partidários de Scalia são muito mais importantes que seu críticos: além de serem maioria no país, tanto Jesus, o Filho de Deus, como o seu Vigário, o Papa Francisco, falam constantemente do inferno em seus ensinamentos.

O inferno é real e, para os católicos, sua existência é um dogma. O Concílio de Florença estabeleceu, em 1439, que “as almas dos que morrem em pecado mortal atual, ou somente no pecado original, descem rapidamente ao inferno”.

Por ser um lugar no qual estão somente aqueles que morreram, os vivos não têm acesso a ele – pelo menos em circunstâncias normais. No entanto, muitos santos, ao longo da história da Igreja, afirmaram ter vivido experiências místicas do inferno e as descreveram.

A seguir, detalharemos três destas descrições.

Cabe recordar que o Catecismo da Igreja Católica afirma claramente que o papel das revelações privadas não é “melhorar” ou “completar” o depósito da fé, mas “ajudar a vivê-la mais plenamente em uma determinada época histórica”.

O relato destas visões servem para ajudar as pessoas a levar mais a sério a realidade do reino eterno dos condenados. Duas das visões que apresentamos são do século XX.

Densa escuridão: Santa Teresa de Ávila

A grande santa do século XVI, Teresa de Ávila, foi uma religiosa e teóloga carmelita. Está na lista dos 35 doutores da Igreja. Seu livro “Castelo Interior” é considerado um dos textos mais importantes sobre a vida espiritual. Em sua autobiografia, a santa também descreve uma visão do inferno que Deus lhe concedeu, segundo ela, para ajudá-la a afastar-se dos seus pecados.

“A entrada pareceu-me semelhante a uma passagem estreita muito longa, como um forno baixo, escuro e constrangido; o chão pareceu-me consistir em água lamacenta, muito suja e de muito mau cheiro, com muitos parasitas e vermes imundos. No fim, havia um nicho na parede ao jeito de um pequeno armário; aí achei-me metida em muito estreito lugar. Tudo isso era nada, em comparação com que eu sentia: isto que eu descrevo está só mal expresso.”

“O que senti, parece-me que não posso nem começar a exprimi-lo; nem pode ser entendido. Experimentei um fogo na alma, que eu não sei como descrevê-lo. As dores corpóreas tão insuportáveis, que embora as tenho sofrido penosas nesta vida e que, de acordo com o que os médicos dizem, das piores que podem ser sofridas na terra, pois todos os meus nervos estavam contraídos quando fiquei paralisada, e com mais muitos outros sofrimentos de muitas espécies que eu suportei, e ainda alguns, como disse, causados pelos demônios, todos estes eram nada em comparação com os que eu experimentei lá, e saber que haviam de ser sem fim e sem jamais cessar.”

“Isto não era nada, porém, em comparação com o agoniar da alma: um apertamento, um afogamento, uma aflição tão agudamente sentida e com tal desesperada e afligida infelicidade que atormenta, que eu não sei como exprimir; porque parece estar-se sempre arrancando a alma que se rasga em pedaços.”
“O fato é que não sei como dar uma descrição suficientemente poderosa daquele fogo interior e aquela gravíssima desesperação sobre tão dolorosos tormentos e dores. Eu não vi quem me os infligia, mas, sentia-me queimar e espedaçar, ao que me parece, e repito que o pior era aquele fogo interior e aquele desespero.”
“Estando em tão fétido lugar, tão incapaz de esperar qualquer consolação, não há onde sentar-se ou deitar-se, nem há lugar, ainda que estava eu metida nessa espécie de buraco feito na parede, porque essas paredes apertam e tudo sufoca. Não há nenhuma luz, senão todo trevas escuríssimas.”

“Depois, eu tive uma visão de coisas espantosas. De alguns vícios, o castigo. Porque não é nada o ouvi-lo dizer, nem eu ter meditado de outras vezes sobre diversos tormentos (embora poucas vezes o fizesse, pois que, por caminho de temor, não ia bem a minha alma), nem que os demônios atormentam, nem outros diferentes suplícios que tenho lido, nada é como esta pena, porque é outra coisa. Enfim, é tão diferente como a pintura o é da realidade, e o queimar-se aqui na terra é muito pouco em comparação com este fogo de lá. Eu fiquei tão aterrada, e ainda agora o estou ao escrever isto, apesar de haver já quase seis anos que de temor – parece-me, e assim é –, me falta o calor natural aqui onde estou.”

“Daqui também cobrei a grandíssima pena que me dão as almas que se condenam (destes luteranos em especial, porque já eram, pelo Batismo, membros da Igreja), e os grandes ímpetos de salvar almas, que me parece certo que, para livrar uma só de tão gravíssimos tormentos, padeceria eu muitas mortes de muito boa vontade.”

Cavernas horríveis, abismos de tormentos: Santa Maria Faustina Kowalska
Santa Maria Faustina Kowalska, conhecida como Santa Faustina, foi uma religiosa polonesa que afirmou ter tido uma série de visões que incluíam Jesus, a Eucaristia, os anjos e vários santos. Das suas visões, registradas em seu “Diário“, a Igreja recebeu a já popular devoção ao Terço da Divina Misericórdia.

Em um trecho do seu diário, no final de outubro de 1936, ela descreve sua visão do inferno:

“Hoje, conduzida por um Anjo, fui levada às profundezas do inferno, um lugar de grande castigo, e como é grande a sua extensão. Tipos de tormentos que vi: o primeiro tormento que constitui o inferno é a perda de Deus; o segundo, o contínuo remorso de consciência; o terceiro, o de que esse destino já não mudará nunca; o quarto tormento, é o fogo que atravessa a alma, mas não a destrói: é um tormento terrível, é um fogo puramente espiritual, aceso pela ira de Deus; o quinto é a contínua escuridão, o terrível cheiro sufocante e, embora haja escuridão, os demônios e as almas condenadas veem-se mutuamente e veem todo o mal dos outros e o seu. O sexto é a continua companhia do demônio; o sétimo tormento é o terrível desespero, ódio a Deus, maldições, blasfêmias.”
“São tormentos que todos os condenados sofrem juntos. Mas não é ó fim dos tormentos. Existem tormentos especiais para as almas, os tormentos dos sentidos. Cada alma é atormentada com o que pecou, de maneira horrível e indescritível. Existem terríveis prisões subterrâneas, abismos de castigo, onde um tormento se distingue do outro. Eu teria morrido vendo esses terríveis tormentos, se não me sustentasse a onipotência de Deus. Que o pecador saiba que será atormentado com o sentido com que pecou, por toda a eternidade. Estou escrevendo por ordem de Deus, para que nenhuma alma se escuse dizendo que não há inferno ou que ninguém esteve lá e não sabe como é.”

“Eu, Irmã Faustina, por ordem de Deus, estive nos abismos para falar às almas e testemunhar que o inferno existe. Sobre isso não posso falar agora, tenho ordem de Deus para deixar isso por escrito. Os demônios tinham grande ódio contra mim, mas, por ordem de Deus, tinham de me obedecer. O que eu escrevi dá apenas uma pálida imagem das coisas que vi.”

“Percebi, no entanto, uma coisa: o maior número das almas que lá estão é justamente daqueles que não acreditavam que o inferno existia. Quando voltei a mim, não podia me refazer do terror de ver como as almas sofrem terrivelmente ali e, por isso, rezo com mais fervor ainda pela conversão dos pecadores; incessantemente, peço a misericórdia de Deus para eles. ‘Ó meu Jesus, prefiro agonizar até o fim do mundo nos maiores suplícios, a ter que vos ofender com o menor pecado que seja’.”

Um grande mar de fogo: Irmã Lúcia de Fátima

A irmã Lúcia não é uma santa, mas é uma das destinatárias de uma das revelações privadas mais importantes do século XX, ocorrida em Fátima (Portugal). Em 1917, ela era uma das três crianças que afirmou ter tido numerosas visões de Nossa Senhora. Ela declarou que Maria lhes mostrou uma visão do interno que ela descreveu em suas “Memórias”.

“Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados nesse fogo, os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas nos grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero, que horrorizava e fazia estremecer de pavor.”

“Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes e negros. Esta vista foi um momento, graças à nossa boa Mãe do céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o céu (na primeira aparição)! Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor.”

Alguma reação? Podemos nos confiar à misericórdia de Deus em Cristo, e evitar, assim, qualquer coisa que se aproxime destas descrições, passando toda a eternidade em união com Deus no céu.
 
Fonte: Brantly Millegan